Hoje é 27 julho 2021

Zema precisa explicar fracasso na compra e produção de vacinas em Minas

O deputado estadual Cristiano Silveira e parlamentares do Bloco Democracia e Luta protocolaram na manhã desta sexta-feira (29/01) na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), requerimento solicitando explicações do Governo de Minas sobre a política de imunização contra a Covid-19 no estado.

Os deputados e deputadas questionam o fracasso do governo Zema em negociar a compra de vacinas do laboratório chinês responsável pela produção do imunizante Sinopharm. Segundo divulgado pelo jornal Estado de Minas, as negociações teriam sido interrompidas por demora no retorno do governo do estado e gafes como a marcação de reuniões de madrugada.

“A notícia do fracasso da negociação demonstra o que é o governo Zema: um governo que fala que é diferente e eficiente mas na verdade é incompetente e ineficaz”, aponta Cristiano Silveira.

“Caso as negociações tivessem avançado, Minas teria participado dos testes do imunizante que poderia estar sendo produzido neste momento na Funed (Fundação Ezequiel Dias). É absurdo que o governo Zema não tenha se esforçado para que a parceria acontecesse”, explica o deputado. O imunizante que poderia ter sido produzido em Minas Gerais já teve eficácia comprovada de 79,3%.

" width=

“Zema insiste em ficar à sombra do governo Bolsonaro, aguardando o seu comando, e perde oportunidade de estar na vanguarda de resolução dessa situação tão grave que nós estamos vivendo”, afirma Cristiano Silveira.

 

O Requerimento é assinado também pelos deputados e deputadas Ana Paula Siqueira (REDE), André Quintão (PT), Andreia de Jesus (PSOL), Beatriz Cerqueira (PT), Betão (PT), Celinho Sintrocel (PCdoB), Jean Freire (PT), Elismar Prado (PROS), Virgílio Guimarães (PT), Ulysses Gomes (PT), Leninha (PT) e Marquinho Lemos (PT).

Falta de testes

Além dos questionamentos sobre o fracasso nas negociações, o documento exige explicações sobre outros pontos como a falta de pessoal na Funed para realizar a triagem dos testes de Covid-19. Segundo a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a instituição e outros laboratórios destinados ao processamento de testes no estado estão ociosos desde o início de janeiro.

Mudanças no Minas Consciente

Os parlamentares também questionam as mudanças no programa Minas Consciente anunciadas nesta quarta-feira (27/01). A chamada “terceira fase” do programa inclui medidas mais flexíveis para cidades que se encontram na Onda Vermelha do programa, inclusive com a realização de eventos.

“Uma das justificadas usadas pelo governo é o início da vacinação no estado, mas precisamos lembrar que Minas está no momento mais delicado da pandemia, com recorde diário de mortes, e que apenas 0,54% da população mineira foi vacinada”, aponta Silveira, que pede a apresentação os dados e estudos usados para balizar as mudanças, além de questionar a pertinência da flexibilização nesse momento crítico.

Leia AQUI a íntegra do Requerimento:

Leia também:

Posts Relacionados