Hoje é 11 dezembro 2017

Violência contra jovens negros será tema de audiência pública em Juiz de Fora

jovens-negros

Tema tem sido debatido em várias cidades do país: (Foto: Anistia Internacional / Divulgação)

A violência contra jovens negros e pobres em Juiz de Fora será tema de audiência pública no município. O evento é da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e será realizado na segunda-feira, dia 04 de dezembro, às 18 hs, no Auditório do Instituto de Educação (Escola Normal) – Rua Espírito Santo, 594. O requerimento para a reunião é do deputado estadual Cristiano Silveira.

“Os movimentos sociais do município, que atuam no combate ao racismo, nos procuraram para falar sobre os altos índices de violência contra jovens negros e pobres na região. Sabemos que é um problema nacional, mas que há localidades em que a situação é mais grave. Por isso vamos até Juiz de Fora para colher informações e avaliar que providências cobraremos das autoridades”, explica o deputado Cristiano Silveira.

O parlamentar lembra que a Comissão de Direitos Humanos já vem trabalhando nessa pauta. “Desde o início do mandato, temos promovido debates sobre esse tema. Recentemente, fizemos uma audiência aqui na Assembleia para inciarmos a construção de uma agenda de trabalho para enfrentamento da violência contra jovens negros. Queremos realizar esses encontros em outras cidades do interior, para avaliar as particularidades de cada região. Assim, teremos condições de subsidiar o Estado na formulação de políticas públicas que possam reverter esse quadro”.

 

Participação
Foram convidados para a audiência: Bruno de Freitas Siqueira, prefeito de Juiz de Fora; Labenert Mendes Ribeiro, secretário executivo do Fórum Regional do Governo – Território Mata – Juiz de Fora; Alexander Jorge Pires, presidente da Comissão de Igualdade Racial da OAB/MG – Juiz de Fora; Paulo Azarias, coordenador regional do Movimento Negro no Estado – Zona da Mata – Juiz de Fora; Giane Elisa Sales de Almeida, movimento Candaces Organização de Mulheres Negras e Conhecimento – Juiz de Fora.

Também foram enviados convites para: Reginaldo Barbosa, coordenador da Organização Lixarte – Juiz de Fora; Dagna Gonçalves Costa, integrante da Convergência Negra Juiz de Fora – Juiz de Fora; Martvs das Chagas, coordenação da Convergência Negra Juiz de Fora; Rogério da Silva, presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial – Juiz de Fora; Adenilde Petrina Bispo, professora doutora Honoris Causa – Juiz de Fora; Igor Ventura de Aquino, aluno da Escola Estadual Fernando Lobo – Juiz de Fora; Lavínia Rufino de Oliveira, rapper – Juiz de Fora.

 

Cenário Nacional
No Brasil, em quatro anos, o número total de vítimas de homicídio anos passou de 206 mil pessoas, em sua maioria negros. O quadro é alarmante se comparado com os países em guerra. Entre 2004 e 2007, em 12 conflitos armados no mundo, formas morta cerca de 170 mil pessoas. Atualmente, para cada jovem branco (de 15 a 29 anos) assassinado, 2,7 negros são vítimas de assassinato no país. Segundo dados divulgados pelo Senado Federal, cerca de 23 mil jovens negros são assassinados por ano no país.

Posts Relacionados