Hoje é 11 dezembro 2017

Violência contra jovens negros e pobres é tema de audiência pública da ALMG

Rio de Janeiro - Em ato Contra o Genocídio da Juventude Negra, manifestantes protestam contra a morte de cinco jovens negros por PMs no último sábado (28), em Costa Barros, na zona norte (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Tema sido discutido em todo o país. (Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil)

O enfrentamento da violência contra a juventude negra no país será tema de audiência pública da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O debate será na próxima segunda-feira (20/11/2017), no auditório. A reunião atende ao requerimento do deputado estadual Cristiano Silveira.

“Vamos discutir as causas da violência contra jovens negros e pobres e também falaremos sobre os impactos desses crimes para o país. Mais do que isso, queremos colher sugestões para a construção de uma agenda legislativa de trabalho para enfrentamento desse problema aqui em Minas”, explica o Cristiano Silveira, presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALMG.

O parlamentar lembra que o tema já vendo sendo abordado pela Assembleia. Em junho de 2015, a foi realizada uma audiência conjunta com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência contra Jovens Negros e Pobres, da Câmara dos Deputados, no bairro Alto Vera Cruz. “É uma pauta que não pode ser esquecida. Temos levado essaa discussão a diversas cidades do estado, para que possamos construir propostas de enfrentamento ao problema com a participação de todos os setores da sociedade”.

 

Participantes
Foram convidados para a audiência: Macaé Maria Evaristo dos Santos, secretária de Estado de Educação de Minas Gerais; Cleide Hilda de Lima Souza, subsecretária de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania; Cel. PM Helbert Figueiró de Lourdes, comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais; Áurea Carolina, vereadora Municipal de Belo Horizonte; Gilberto da Silva Pereira, presidente da Comissão de Igualdade Racial – OAB-MG; Fernanda Vieira de Oliveira, advogada, coordenadora do Projeto Solta Minha Mãe e representante do Coletivo Pretas em Movimento.

 

Cenário de guerra
O número de vítimas de homicídio no Brasil em quatro anos passou de 206 mil pessoas, em sua maioria negros. Saldo maior que os 170 mil mortos nos 12 maiores conflitos armados no mundo entre 2004 e 2007, de acordo com o Mapa da Violência 2013. Atualmente, para cada jovem branco assassinado, 2,7 negros são vítimas de assassinato no país.

Segundo dados divulgados pelo Senado Federal, cerca de 23 mil jovens negros são assassinados por ano no país. Entre 2002 e 2012, a violência letal contra essa faixa da população cresceu mais de 32%, enquanto o percentual diminuiu entre os jovens brancos. O levantamento mostra que, a cada 23 minutos, um jovem negro, de 15 a 29 anos, é assassinado no Brasil.

Posts Relacionados