Hoje é 21 setembro 2019

Justiça cancela reintegração de posse de acampamento do MST em Campo do Meio

campo-do-meio-ocupacao-ariadinopolis-cristiano-silveira-by-tainara-paula-17

Deputados visitaram o acampamento em novembro de 2018. (Foto: Sarah Torres / ALMG)

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) cancelou a liminar de reintegração de posse do acampamento Quilombo Campo Grande, em Campo do Meio, no sul do estado. O julgamento foi realizado nessa quinta-feira (11/07/2019), em Belo Horizonte. A decisão foi assinada pelo desembargador Luciano Pinto, que considerou que a empresa falida da Companhia Agropecuária Irmãos Azevedo (Capia), que reivindica a posse do terreno, já havia desistido da ação em uma audiência de conciliação.

O acampamento Quilombo Campo Grande foi construído pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) há 20 anos. Hoje 450 famílias vivem e produzem no terreno, também conhecido como Fazenda Ariadnópolis. São 1.100 hectares onde são cultivadas lavouras diversas, como café, milho, feijão, mandioca, amendoim, ervas medicinais, frutas, hortaliças, entre outras.

Geral

Deputados comprovaram o uso produtivos das terras da  fazenda Ariadnópolis. (Foto: Sarah Torres / ALMG)

Em novembro de 2018, a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizou audiência pública para discutir a situação do acampamento. Na ocasião, o então presidente da Comissão, deputado estadual Cristiano Silveira, defendeu a desapropriação do terreno para que os famílias pudessem ter a posse definitiva da terra. No mesmo mês, o parlamentar visitou o Quilombo Campo Grande para verificar se realmente havia produção de alimentos no local, o que estava sendo questionado pela Justiça.

“Visitamos o acampamento e verificamos a grande produção de alimentos feita pelas famílias. Alimentos saudáveis, de qualidade, como o café que eles plantam. Comprovamos o uso social da terra, documentamos e enviamos ao Ministério Público para que isso pudesse ser acrescido ao processo. Agora, tivemos uma grande vitória com o cancelamento do pedido de reintegração de posse. Vamos continuar na luta para que seja feita a desapropriação definitiva do terreno”, destacou o deputado estadual Cristiano Silveira.

Saiba mais:

Posts Relacionados